Estou ficando velho, isso sei, mas não me tornei insensível. Apenas não sinto da mesma maneira…
Vejo esse povo gritando de dor, pelos seus, que morreram em consequência do baile em Sta. M. e me vejo neles todos os dias.
Como articulador social, profissão que peguei para mim há apenas quatro anos, tenho visto as maiores barbáries do mundo aqui, escancarado em minha janela e escondido do que é a “opinião popular!:
Mais de 5 crianças morrem de fome por dia no sertão.
150 crianças são estupradas por dia no Brasil.
50000 dependentes químicos não sabem o que são, e vagam pelas ruas em busca de respostas.
e aí vai…
E ENTÃO? Sobra dor onde?